PLANTÃO

EA defende as loot boxes encontradas em seus jogos


Para a Electronic Arts (EA), as loot boxes não tem problemas com ética. Elas são divertidas e devem ser chamadas de “mecânicas surpresa”. Kerry Hopkins, vice-presidente dos Assuntos Legais e Governamentais na Electronic Arts disse isso para o Comitê Digital, Cultural, de Mídia e Esporte preparado pelo Parlamento do Reino Unido, sobre as caixas de loot e o perigo que podem representar para os jogadores mais jovens.

Na mesma sessão, estava presente a Epic Games com seu Fortnite, um dos jogos mais populares entre os mais jovens. Hopkins foi questionada sobre a ética das lootboxes e ela disse o seguinte:

Bem, primeiro, não chamamos lootboxes. Olhamos para isto como mecânicas surpresa. Se você entrar em uma loja que vende muitos brinquedos e procurar por brinquedos surpresa, descobrirá que é algo do qual as pessoas gostam, as pessoas gostam de surpresas. É algo que tem sido parte dos brinquedos há anos, sejam os Kinder Ovos, Hatchimals ou LOL Surprise, acreditamos que implementamos estas mecânicas – e FIFA claro, é o nosso principal, o nosso FIFA Ultimate Team e os seus packs – são na verdade muito éticos e bem divertidos, desfrutáveis pelas pessoas.

Hopkins diz que a EA concorda com as comissões no Reino Unido e Austrália para os jogos de azar, mas que não considera as lootboxes nesta categoria. A representante da EA chamou a atenção para o fato de ser necessário criar uma conta na plataforma específica onde a pessoa joga, como a conta PlayStation, para iniciar os jogos e efetuar compras:

No Reino Unido, em particular, o PlayStation é incrivelmente popular. Para um jogador jogar qualquer um dos nossos jogos online, precisa de uma conta PlayStation. Não é possível criar uma conta PlayStation se você tiver menos de 18 anos, um pai terá que criar uma conta e criar uma sub-conta para o seu filho.

Hopkins defende que quando o pai cria uma conta, já foi informado que pode estabelecer controles que impedem o seu filho de gastar dinheiro em compras in-game. No entanto, a representante da EA não diz que a culpa é de quem fabrica a plataforma pois o jogador também precisa de uma conta EA, apenas diz que existem meios de bloquear as compras indesejadas.


Nenhum comentário