Quando Coringa foi exibido pela primeira vez, no Festival de Cinema de Veneza, choveram elogios. Porém, nas semanas seguintes, surgiu de repente uma controvérsia de que o filme poderia inspirar atos de violência no mundo real.

Agora, que quase um mês se passou com o filme em cartaz e nada aconteceu, o presidente da Warner Bros. Pictures, Toby Emmerich, revelou em entrevista ao The Hollywood Reporter que isso nunca foi uma preocupação real do estúdio. Ao invés disso, sempre o enxergaram como uma obra de arte.

"Havia muitos mal-entendidos em torno da história do trágico tiroteio de Aurora. E estávamos certamente muito sensíveis a esse caso. Porém, esse filme e esse tiroteio não tinham nenhuma ligação com o personagem do Coringa. Portanto, tivemos que julgar nosso filme por seus próprios méritos. Nós olhamos para o filme com muita atenção e sentimos que era um ótimo filme. Que era uma obra de arte. E não achamos que isso inspiraria violência. Levamos para Veneza, onde ganhou o Leão de Ouro. E nos sentimos confortáveis ​​em lançá-lo."

Coringa está em cartaz nos cinemas brasileiros, e conta com direção de Todd Phillips. O elenco conta com Joaquin Phoenix, Robert De Niro, Zazie Beetz, Brett Cullen, Shea Whigham, e Marc Maron.