Advertisement

Responsive Advertisement

Presidente da Warner nunca considerou "Coringa" um filme 'perigoso pro público'


Quando Coringa foi exibido pela primeira vez, no Festival de Cinema de Veneza, choveram elogios. Porém, nas semanas seguintes, surgiu de repente uma controvérsia de que o filme poderia inspirar atos de violência no mundo real.

Agora, que quase um mês se passou com o filme em cartaz e nada aconteceu, o presidente da Warner Bros. Pictures, Toby Emmerich, revelou em entrevista ao The Hollywood Reporter que isso nunca foi uma preocupação real do estúdio. Ao invés disso, sempre o enxergaram como uma obra de arte.

"Havia muitos mal-entendidos em torno da história do trágico tiroteio de Aurora. E estávamos certamente muito sensíveis a esse caso. Porém, esse filme e esse tiroteio não tinham nenhuma ligação com o personagem do Coringa. Portanto, tivemos que julgar nosso filme por seus próprios méritos. Nós olhamos para o filme com muita atenção e sentimos que era um ótimo filme. Que era uma obra de arte. E não achamos que isso inspiraria violência. Levamos para Veneza, onde ganhou o Leão de Ouro. E nos sentimos confortáveis ​​em lançá-lo."

Coringa está em cartaz nos cinemas brasileiros, e conta com direção de Todd Phillips. O elenco conta com Joaquin Phoenix, Robert De Niro, Zazie Beetz, Brett Cullen, Shea Whigham, e Marc Maron.


Postar um comentário

0 Comentários