PLANTÃO

CRÍTICA | A Ordem - 2ª temporada


O drama teen sobrenatural da Netflix, A Ordem, está de volta para mais aventuras. Mas antes de começarmos a falar sobre a nova temporada, temos um ponto pessoal a ressaltar: uma série que é dividida em “capítulos”, fica mais fácil de entender e de acompanhar para não se perder no meio das subtramas. Aqui, temos cada capítulo dividido em duas partes e a cada novo capítulo um arco se inicia, assim como foi na primeira temporada.

Dando um pouco de spoiler, os dois primeiros foram focados na menina assassina, os dois seguintes foram focados no demônio do medo. Depois, foi focado na sociedade dos prometeicos, logo depois foi focado no Foley sendo o vilão e o vírus que foi instalado na Ordem e então, os dois últimos abordaram o desfecho de tudo isso.

Mas enfim, vamos aos pontos da nova temporada. O tema vingança ainda faz parte da trama, mas agora o desejo é movido por outros motivos e existem novos personagens buscando vinganças pessoais. Os Cavaleiros continuam sendo inimigos mortais dos membros da Ordem e ainda que elaborem um plano de vingança por terem roubado suas memórias e suas peles de lobo, as coisas saem do controle, levando a trama até que interessante pelos dez episódios.

Dentre os personagens, Alyssa se tornou um instrumento de roteiro. Começa perdida, mostra dificuldades com seus poderes, tenta encontrar seu caminho e se torna uma vilã que tem um desfecho ainda incerto. Jack ficou apenas se movendo conforme os acontecimentos. Mas os lobisomens, como um todo, mudam radicalmente. Porém, nessa temporada muita coisa acontece, mas que aparenta ser esquecida. Exemplo, após o desfecho do demônio que deixou a faculdade um caos, nada é dito. Outras subtramas sequer a gente se lembra de como foram resolvidas ou de como tiveram tal importância para a trama.

A existência de outras sociedades secretas foi uma jogada interessante dos diretores. Cada uma tem sua própria metodologia e ideologia. Os Filhos de Prometeu, diferente da Rosa Azul, lidam com a natureza e as conexões psíquicas entre seus membros. Enquanto a Práxis, tem o objetivo de distribuir magia para quem quiser sem pensar nas consequências.

Em uma conclusão, a segunda temporada se mostrou mais empolgante e divertida de acompanhar do que a primeira temporada. A nova trama não focam somente em Jack, trazendo um desenvolvimento maior dos outros personagens, aliás, um desenvolvimento bem considerável e bem explorado. A trama avança em explorar a mitologia da série apresentando mais magia e ação. O efeitos visuais, ainda bem que estão um pouco melhores.

A Ordem vale a pena assistir para você que assistiu a primeira temporada (e que sente saudade dos personagens e da trama teen) e pra você que quer um pouco de magia e boas atuações nesta quarentena.


NOTA: 8/10


Nenhum comentário