PLANTÃO

Mercado de games continua aquecido durante a pandemia


Apesar da quarentena ter sido marcada por uma crise econômica que afetou vários setores, o mercado de games parece não ter sofrido tanto os efeitos da crise, muito pelo contrário, foi um dos únicos impactados positivamente em meio à pandemia.

Uma pesquisa realizada pela SuperData, consultoria especializada no mercado de games, mostra que os gastos no mundo com jogos digitais em março deste ano ultrapassaram a marca de US$ 10 bilhões, quando as medidas de isolamento social foram colocadas em práticas.

Já uma pesquisa da consultoria Nielsen Brasil feita no mesmo período, mostra que consoles tiveram crescimento de 137% de vendas no varejo, enquanto jogos e periféricos subiram 103%, comprovando a tendência de crescimento mundial. A fabricante nacional de equipamentos de proteção de energia, TS Shara, também constatou aquecimento nas vendas nas linhas de nobreaks para PC gamer, acompanhando a demanda do mercado.

"O mercado de games no Brasil evoluiu muito e se profissionalizou, o que fez com que o consumidor ficasse mais atento à preservação dos seus investimentos. Além de periféricos e acessórios, o nobreak hoje se tornou uma peça-chave na hora de jogar tão importante quando o computador. Além de proteger os PCs contra as instabilidades da rede elétrica, que diminuem a vida útil das máquinas, os nobreaks conectados ao PC game asseguram ao jogador uma boa experiência, evitando a interrupção das partidas ocasionadas pela falta de energia, muito comuns em determinadas épocas do ano em um país com dimensões continentais", afirma Pedro Al Shara, CEO da TS Shara.


Nenhum comentário