Subscribe Us

Header Ads

Durante painel na SDCC, David Goyer comenta polêmicas sobre "Homem de Aço"


O filme Homem de Aço, de 2013, marcou como o início do chamado DCEU, o Universo DC nos cinemas. Durante seu painel na San Diego Comic-Con, o roteirista David Goyer comentou alguns dos pontos mais polêmicos da produção, relembrando que a ideia inicial era dar uma abordagem mais realista para o herói, assim como havia feito com o Batman ao lado de Christopher Nolan.

Porém, a natureza alienígena do Superman adicionou algumas dificuldades que a equipe não havia encontrado no Homem-Morcego, como por exemplo imaginar como o mundo real seria afetado pelo surgimento de um alienígena, que nas palavras de Goyer seria "o maior acontecimento na história da humanidade". Após discutir algumas das decisões tomadas pela equipe, o escritor começou a falar sobre a cena do tornado em que Clark Kent (Henry Cavill) assiste seu pai Jonathan (Kevin Costner) ser levado por um tornado. Para Goyer, a questão era mais sobre a inexperiência do herói do que o medo em revelar sua identidade.

As pessoas tem que lembrar que Clark devia ter uns 17 anos na época. Ele não havia sido testado e não conhecia a extensão de seus poderes. (...) E do outro lado ele tem seu pai em sua cabeça dizendo ‘você tem que tomar muito cuidado'.

Outro ponto do filme que gerou controvérsia entre o público foi a conclusão da luta entre Superman e Zod (Michael Shannon), em que o herói mata seu inimigo. Afirmando que entende as pessoas que não gostam dessa saída, Goyer voltou a falar sobre a falta de experiência dessa versão específica do herói. 

Há uma regra de que o Superman não mata, mas essa é uma regra imposta em um mundo fictício. (...) Mas esse é um Superman imaturo que acabou de aprender a voar. (...) Ele não conhece a extensão de seus poderes e está lutando contra alguém que nunca iria parar.

Ponderando sobre o fato de que há riscos de não agradar em qualquer decisão tomada na construção de uma história, o roteirista revelou que esse momento seria a forma do Superman estabelecer sua regra de nunca matar. "A intenção é que ele tivesse nessa posição terrível e depois jura nunca mais fazer isso de novo", afirmou.

Ao fim da conversa, Goyer revelou que chegou a pensar em uma alternativa para a possibilidade de não matarem o Zod. Segundo o autor, a saída encontrada pelo Superman seria colocar o vilão em uma das naves kryptonianas e mandar ele para o espaço.

Mas seria uma desculpa esfarrapada em comparação ao que estávamos fazendo até ali.

 

Postar um comentário

0 Comentários