Subscribe Us

Header Ads

Ray Fisher sai em defesa de seu papel no filme solo do Flash


A conturbada relação de Ray Fisher com a Warner passou por nova turbulência nesta quinta-feira (07). O ator criticou o artigo publicado pelo TheWrap na tarde de ontem (06), que afirmava que seu personagem deveria ser removido do filme solo do Flash, dizendo que sua saída não estava confirmada. Segundo o intérprete do Ciborgue, o repórter responsável pela matéria estaria “se dobrando às vontades da Warner Pictures e de Walter Hamada”, presidente da DC Films.

Em uma série de postagens no Twitter, onde tem compartilhado detalhes dos problemas que ocorreram nos bastidores de Liga da Justiça após Joss Whedon substituir Zack Snyder na direção, o ator disse ainda que segue em contato com a WarnerMedia sobre as investigações internas que apuram o caso. Fisher ainda afirmou que a empresa pretende cortar laços com Geoff Johns, quadrinista conhecido por diversas HQs icônicas da DC e produtor-executivo dos filmes baseados nos personagens da editora, um dos principais alvos das acusações do ator.

"Sugiro veemente que o TheWrap corrija imediatamente esse artigo. Embora eu entenda o desejo imortal do repórter de se dobrar às vontades da Warner Pictures e de Walter Hamada, a matéria está incorreta. Eu não anunciei [que deixaria The Flash] publicamente. Se a Warner Pictures decidiu me retirar de The Flash ao invés de se manifestar de qualquer maneira sobre a interferência de Walter Hamada nas investigações de [Liga da Justiça], a culpa é deles. A ideia de eliminar o papel ao invés de buscar outro ator é uma tentativa de evitar repercussão negativa. A equipe de relações públicas da Warner Pictures tem encontrado dificuldades em retomar controle da narrativa desde que tentaram, em vão, enterrar a mim e à investigação de [Liga da Justiça] com seu artigo difamatório no dia 4 de setembro – que, sem nenhuma surpresa, foi escrito pelo mesmo repórter."

"O fato é: a investigação de Liga da Justiça levou a WarnerMedia (e suas afiliadas) a cortarem relações com Joss Whedon. Geoff Johns deve ser o próximo a ser demitido da produtora. Se fosse por Hamada, nada disso seria possível e o ciclo de abusos continuaria. Minha equipe e eu seguimos conversando seriamente com a WarnerMedia sobre todos esses assuntos e – com Flash ou sem Flash – pretendemos levar isso até o fim. Manterei vocês atualizados, mas, por enquanto, obrigado por seu apoio initerrupto".

O filme solo do Flash segue programado para estrear no segundo semestre de 2022, mas suas gravações ainda não começaram.



Postar um comentário

0 Comentários